Loja Biovip de

A importância da Vitamina D

A importância da Vitamina D

O papel da vitamina D na regulação do metabolismo fosfo-cálcico, assegurando, entre outras funções, uma mineralização óssea normal, é há muito conhecido. Evidências recentes correlacionam níveis insuficientes de vitamina D com um risco aumentado de desenvolvimento de outras patologias não ósseas: doenças cardiovasculares, hipertensão, neoplasias, diabetes, esclerose múltipla, demência, artrite reumatoide e doenças infeciosas.

Metabolismo da Vitamina D

A vitamina D é única entre as vitaminas, pois funciona como uma hormona e pode ser sintetizada na pele a partir da exposição à luz solar.

Vitamina D é o nome genérico dado a um grupo de compostos lipossolúveis que são essenciais para manter o equilíbrio mineral do corpo, nomeadamente através da regulação da absorção de cálcio ao nível intestinal. A vitamina D3 (ou colecalciferol) e a vitamina D2 (ou ergocalciferol) são as duas formas químicas mais importantes.

Um adulto saudável necessita entre 600 a 800 unidades internacionais (UI) de vitamina D por dia. Existem três fontes de vitamina D: alimentos ricos em vitamina D, suplementos alimentares, e a síntese cutânea após exposição solar.

A pré-vitamina D3 é sintetizada na pele durante a exposição aos raios ultravioleta - que aumenta linearmente em função do tempo de exposição – e é termicamente convertida em colecalciferol (vitamina D3). Esta entra na circulação e é hidroxilada no fígado e posteriormente no rim, à forma ativa de vitamina D (calcitriol).

Principais funções da vitamina D:

  • Absorção intestinal de cálcio e fósforo.
  • Crescimento e normal desenvolvimento dos ossos e dentes.
  • Manutenção do normal funcionamento do sistema imunitário.
  • Diminuição do risco de desenvolver doenças infeciosas.
  • Segundo alguns estudos, esta vitamina desempenha um papel importante na prevenção da esclerose múltipla, da gripe sazonal e da depressão.
  • Uma investigação demonstrou a sua importância na redução do peso e prevenção de patologias cardíacas.

O que pode levar a carências de Vitamina D

As fontes alimentares de vitamina D (D2 ou D3) são escassas e de conteúdo não significativo na maioria dos casos. As principais são os óleos de peixe e os produtos alimentares enriquecidos, como os produtos lácteos e pão. Além do défice dietético, outras condições podem originar valores séricos de vitamina D abaixo do desejável, incluindo falta de exposição solar (um fator de proteção solar de 30 reduz a síntese de vitamina D na pele em 95%), mal absorção (doença inflamatória intestinal, doença celíaca, cirurgia gástrica, doença biliar ou polipose intestinal), uso de anticonvulsivantes ou glicocorticoides a longo prazo.

Atenção a crianças, idosos e grávidas

A vitamina D é particularmente relevante na infância e na 3ª idade.

As crianças, por estarem em crescimento, são particularmente suscetíveis a doenças esqueléticas por carência de Vitamina D.

Os idosos são muito suscetíveis ao défice desta vitamina devido à diminuição da ingestão de alimentos que a contenham, da exposição solar, da espessura da pele, também devido a dificuldades na absorção intestinal e a alterações do metabolismo. A osteomalacia, associada à fraqueza muscular, leva a um aumento muito significativo de fraturas.

Quanto às grávidas, a falta de vitamina D é comum durante a gestação. Está associada a um aumento do risco de pré-eclâmpsia, diabetes gestacional e parto prematuro. Os fetos de mulheres com défice desta vitamina podem apresentar atraso do crescimento, baixa estatura, convulsões neonatais, maior risco de desenvolvimento de asma e um sistema imunitário enfraquecido.

← Previous Next →

Assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades

Os cookies são importantes para oferecer um serviço online de melhor qualidade. Ao utilizar o nosso site está a concordar com a nossa política de privacidade e de utilização de cookies, saiba mais aqui.

Carrinho

Parece que o seu carrinho está vazio!

Olá,
Seu código Biovip

Escolha uma opção: